issue

Sem fumaça

O tabaco sem fumaça, embora menos prejudicial do que o tabaco com fumaça, não é inofensivo e deve fazer parte dos esforços de controle do tabaco. Em muitos países, produtos sem fumaça são produzidos e vendidos no mercado informal, demandando soluções regulatórias criativas.

Mais de 40 tipos de produtos de tabaco sem fumaça (p.ex. gutkha, pan masala, snus, tabaco de mascar, etc.) são consumidos por via nasal ou oral, por mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo que a maioria vive no Sul da Ásia. Em cerca de duas dezenas de países, mais mulheres do que homens usam o tabaco sem fumaça, o que reflete as diferenças culturais no que diz respeito ao uso sem fumaça.

O uso de tabaco sem fumaça definitivamente causa câncer na cabeça e no pescoço. Na preparação destes produtos, uma cadeia contínua de reações químicas entre bactérias e as folhas de tabaco forma uma dinâmica microbial e química, que influencia a concentração nos produtos sem fumaça das substâncias químicas letais que provoca doenças em usuários de tabaco com fumaça. A questão referente a se o uso de tabaco sem fumaça altera a probabilidade de uma pessoa consumir cigarros é motivo de debate acirrado.

O tamanho do mercado de tabaco sem fumaça em países de alta renda permanece relativamente estável. A Diretiva dos Produtos de Tabaco da União Europeia de 2014 deixou a proibição da venda de snus intacta em todos os países da UE, exceto na Suécia. Nos últimos anos, o teste de marketing the produtos dissolvíveis fracassou nos Estados Unidos e


as extensões da marca snus foram fracassos comerciais no Canadá e na África do Sul. Em contrapartida, em 2012, a Suprema Corte da Índia perturbou o maior mercado de tabaco sem fumaça do mundo quando determinou que a gutkha e a pan masala eram produtos alimentícios perigosos, cuja venda poderia ser temporariamente proibida no âmbito das leis de segurança alimentar da Índia. Os fabricantes desse país responderam produzindo produtos de tabaco sem fumaça que não são classificados como alimentos. A reação dos usuários do tabaco sem fumaça da Índia à proibição continua pouco clara.

Colocar os produtos de tabaco sem fumaça no âmbito das estruturas regulatórias de controle de tabaco é essencial para gerir os danos causados por esses produtos. A pesquisa sugere uma ampla variação no nível de dano causado por esses diferentes produtos (nenhum deles é inofensivo). Não é de surpreender que existam desafios: por exemplo, a tributação eficaz de produtos sem fumaça em alguns países tem sido comprovadamente difícil, visto que estes produtos são produzidos e vendidos no mercado informal. A pesquisa irá embasar a ação política no futuro no que diz respeito ao tabaco sem fumaça. Há mais a saber sobre as oportunidades de regular sabores do produtos, advertências de saúde e novos produtos.


Uso entre Adultos

Prevalência do Uso de Tabaco sem Fumaça entre Adultos: 2016 ou dados mais recentes

*55 países nunca coletaram dados sobre o uso de tabaco sem fumaça, o que leva a um quadro incompleto do consumo de tabaco no país. Estas informações precisam ser coletadas nos futuros esforços de vigilância do tabaco.

Carga do Tabaco sem fumaça para a Saúde

Em 2016, houve 315 mil mortes causadas por produtos de tabaco sem fumaça, dos quais a maioria ocorreu no Sul da Ásia.

Fonte: Global Burden of Disease Collaborators, 2016.