solution

Otimismo

A epidemia do tabaco continua, mas as ferramentos que já temos podem genuinamente fazer a diferença entre a vida e a morte. Os governos devem agir de forma proativa e assertiva para implementar essas intervenções comprovadas e resistir firmemente os esforços da indústria do tabaco para prejudicar essas ações.

Para começar, modestamente, podemos estabelecer uma meta de redução relativa de 30% na prevalência até 2025 (tendo como referência 2010), com metas muito mais ambiciosas imediatamente depois. Porém, governos devem fazer um esforço maior para implementar essas intervenções e os proponentes do controle to tabaco dentro dos governos devem se manifestar a favor de mudanças. Ao mesmo tempo, os proponentes que estão fora do governo, incluindo a sociedade civil e pesquisadores, devem pressionar os governos a redobrar seus esforços e fornecer a assistência necessária para alcançar essas metas. Esperamos que você se comprometa seriamente a ser parte dos esforços para salvar milhões de vidas do flagelo causado pelo uso do tabaco.


Implementação da Políticas de Controle do Tabaco

Média de desempenho em termos das principais cinco políticas de controle (antitabagismo, rótulos de advertência, cessação, proibição da comercialização e impostos).

Há um debate considerável na comunidade de saúde pública sobre o papel de produtos de tabaco potencialmente menos nocivos. Esta questão é complexa. Urgimos que os leitores tenham mente aberta, mas que também sejam céticos e sempre recorram à ciência. Ou seja, o controle do tabaco deve ser baseado em fatos. É possível que não haja uma solução universal para este novo desafio, mas devemos trabalhar juntos como uma comunidade de saúde pública, encontrar ou gerar energicamente as evidências necessárias, interpretá-las cuidadosamente e evitar o dogmatismo que serve para dividir e potencialmente ofuscar verdades importantes. Embora devamos abordar os novos produtos, não podemos permitir que estes nos distraiam das principais tarefas em questão, implementando especialmente medidas baseadas em evidências, como impostos altos sobre o cigarros. Novas abordagens para reduzir as doenças relacionadas ao tabagismo certamente funcionarão melhor em conjunto com medidas comprovadas para motivar a cessação e desencorajar a iniciação ao tabagismo. Além disso, não há substituo para a importância que as medidas governamentais têm na implementação de políticas de eficácia comprovada.

Para começar, modestamente, podemos estabelecer uma meta de redução relativa de 30% na prevalência até 2025 (tendo como referência 2010), com metas muito mais ambiciosas imediatamente depois. Porém, governos devem fazer um esforço maior para implementar essas intervenções e os proponentes do controle to tabaco dentro dos governos devem se manifestar a favor de mudanças. Ao mesmo tempo, os proponentes que estão fora do governo, incluindo a sociedade civil e pesquisadores, devem pressionar os governos a redobrar seus esforços e fornecer a assistência necessária para alcançar essas metas. Esperamos que você se comprometa seriamente a ser parte dos esforços para salvar milhões de vidas do flagelo causado pelo uso do tabaco.