issue

Meio Ambiente

O cultivo, produção, comercialização e consumo de tabaco são devastadores para o meio ambiente. O cultivo de tabaco provoca desflorestamento e utiliza em excesso produtos químicos prejudiciais. Os resíduos da produção — em grande parte, tóxicos — além do descarte da embalagem e pontas de cigarro poluem nossos ecossistemas fragilizados.

A produção de tabaco e dos produtos de tabaco provocam degradação ambiental generalizada em todo o mundo. Começando pela preparação da terra para o cultivo do tabaco e continuando por todo o ciclo de vida destes produtos, vconforme os mesmos são manufaturados, comercializados e consumidos.

Com o rápido aumento do consumo global do tabaco no final do século XX e começo do século XXI, a demanda por folhas de tabaco também cresceu drasticamente, levando a uma elevação drástica correspondente da quantidade de terras dedicadas à plantação de tabaco. Com frequência, os agricultores limpam as floresta com queimadas; muitas vezes, estas terras são marginalmente agrícolas e são abandonadas após algumas poucas safras, contribuindo em muitos casos para a desertificação. As queimadas não só geram grandes quantidades de poluentes do ar, da terra, da água e do ar, como também eliminam boa parte da cobertura de florestal que absorve dióxido de carbono do mundo. Consequentemente, o cultivo de tabaco também exacerba os níveis de gases dos efeito estufa.


O cultivo de tabaco é normalmente uma das safras que mais utiliza produtos químicos. Tendo em vista que boa parte das terras de cultivo de tabaco são minimamente férteis, a maioria dos agricultores usa grande quantidade de fertilizantes químico inorgânicos para promover o crescimento, e herbicidas para mitigar as ervas daninhas. Por ser normalmente cultivado como uma monocultura, o tabaco é particularmente vulnerável à pragas, e a maioria dos agricultores usa altos níveis de pesticidas. Além disso, em muitos países, há evidências de que os agricultores continuam a utilizar produtos químicos proibidos ou de uso restrito na maioria das regiões com IDH mais alto, como a União Europeia.

O processo de fabricação dos produtos de tabaco gera grandes quantidades de resíduos. As últimas estimativas rigorosas, de 1995, sugerem que a indústria produz mais de 2,5 milhões de toneladas de lixo devido à manufatura, das quais grande parte contém nicotina e outros produtos químicos perigosos. Tendo em vista que a produção global de tabaco é maior do que em 1995, este impacto negativo é certamente ainda maior hoje em dia.


Pontas de cigarros e resíduos de embalagem por tonelada

Os fabricantes fazem uso intensivo de recursos, como papel, plástico e produtos químicos na produção da embalagem e rótulo dos produtos de tabaco. Milhões de toneladas de resíduos de embalagem, em grande parte resíduos plásticos, acabam como lixo e contribuem para sobrecarregar aterros de lixo em todo o mundo. De forma semelhante, o descarte de resíduos do cigarro após o consumo prejudica o meio ambiente. Nos esforços de limpeza de praias em todo mundo, as pontas de cigarro são o maior componente do lixo recolhido.

Por fim, os incêndios provocados por cigarros causam um dano tremendo ao meio ambiente, mais além dos custos em termos de vidas perdidas e prejuízos econômicas diretos. O fumo do cigarro é uma das principais causas de incêndios tanto florestais como residenciais em todo o mundo. Tanto nos EUA como no Reino Unido, o cigarro é a principal causa de mortes relacionadas com incêndios e é responsável por centenas de milhões de dólares em danos relacionados com incêndios


Pesticidas Perigosos

Aldicarbe

Afeta o cérebro, os sistemas imunológico e reprodutivo de animais e seres humanos; altamente tóxico mesmo em doses baixas; contaminante do solo e da água subterrânea. EUA, eliminado gradativamente até 2018. Estados membros da UE, uso altamente restrito.

Corpirifos

Afeta o cérebro e o sistema respiratório em altas doses; amplamente encontrado no solo, na água, no ar e nos alimentos. EUA, proibido para uso residencial em 2000.

1,3-Dicloropropeno

Efeitos altamente tóxicos para a pele, olhos, sistemas respiratório e reprodutivo; lixiviado prontamente na água subterrânea; provável agente causador de câncer em seres humanos. Estados membros da UE, eliminado gradativamente em 2009.

Imidacloprida

Afeta o cérebro e o sistema reprodutivo; altamente tóxico para as abelhas e outros insetos benéficos e algumas espécies de pássaros; persiste no meio ambiente, no solo, na água e como contaminante de alimentos; contém naftaleno e sílica cristalina de quartzo, que são agentes causadores de câncer; usado em grande quantidade na agricultura. Estados membros da UE, proibido por dois ano para uso em cultivos que atraem abelhas em 2013.

Brometo de Metilo

Afeta a pele, o cérebro e o sistema respiratório; pode provocar fluido nos pulmões, dores de cabeça, tremores, paralisia ou convulsões; agente volátil que destrói a camada de ozônio. Eliminado gradativamente até 2015 no âmbito do Protocolo de Montreal do Programa Ambiental das Nações Unidas.

Cloropicrina

Agente causador de danos no pulmão; altos níveis de exposição provocam vômito, água nos pulmões, inconsciência e até mesmo morte; tóxico para peixes e outros organismos; utilizado como gás lacrimejante na Primeira Guerra Mundial. Estados membros da UE, proibido desde 2011.

Carbaril

Afeta o cérebro, os sistemas imunológico e reprodutivo; provável agente causador de câncer, ligado a casos de câncer entre agricultores; ligado a baixa contagem de esperma entre homens expostos; tóxico para as abelhas e outros insetos benéficos e para a vida aquática; contaminante do ar e da água. Estados membros da UE, proibido desde 2007.

O que Podemos Fazer a Curto Prazo?

Exigir regulamentação mais rigorosa para os fabricantes de produtos do tabaco, como:
o Melhor mitigação de resíduos de fabricação,
o Proibição de filtros de uso único,
o Mitigação do uso excessivo de produtos de papel e plástico na embalagem.
- Estabelecer por lei que a indústria do tabaco deve pagar pela mitigação ambiental.
- Processar a indústria se não pagar pela destruição ambiental que cria.

De que Maneira Podemos Ajudar os Agricultores que Plantam Tabaco?

- Ajudar os agricultores que plantam tabaco a encontrar cultivos alternativos e ecológicamente salutares, através da melhora do:
o Valor da cadeia de oferta e procura de outros produtos cultivados localmente.
o Extensão dos serviços e de educação agrícola para plantação dos outras culturas que não o tabaco.
o Acesso a crédito para o cultivo de outras plantações que não o tabaco.
- Impor o cumprimento do compromisso com a CQCT da OMS no qual os governos não invistam no cultivo do tabaco.
- Para os agricultores que continuem a cultivar o tabaco, ajudar a ensinar práticas ecologiamente mais beneficiais