issue

Marketing

Políticas de controle do tabaco procuram eliminar o marketing dos produtos de tabaco, enfocando a mensagem nas mortes e doenças causadas por esses produtos. Bloquear o marketing em todos os meios e formas — incluindo radio e TV, pontos de venda, embalagens e mesmo nos próprios produtos — contribuirá para este objetivo.

Uma vez que o produto sai da cadeia de produção, ele precisa de ajuda para alcançar os consumidores. As empresas que manufaturam produtos derivados do tabaco precisam aumentar a demanda por seus produtos, especialmente por parte de novos consumidores. Marketing, basicamente, cria a demanda inventando motivos pelos quais uma pessoa deveria fumar ou usar outros produtos de tabaco. Controlar a capacidade da indústria do tabaco de difundir ideias favoráveis ao consumo constitui a essência dos esforços de controle do tabaco no sentido de regular o marketing.

O fechamento dos canais de marketing em geral tem como principal benefício proteger as crianças dos esforços persuasivos da indústria pare que comecem a fumar. Embora a indústria do tabaco afirme que suas propagandas não tem o apelo à crianças como alvo, a indústria beira o limite ao destinar seus esforços de marketing para os jovens adultos, um grupo que as crianças veem como pares e exemplos de comportamento mais próximos a si. Às vezes as fabricantes de tabaco chegam a ir além desse limite, por exemplo, ao comercializarem tabaco como se fossem doces ou balas.

A indústria do tabaco encontrou maneiras criativas de fazer marketing de seus produtos, por exemplo, através de embalagens atraentes e campanhas chamadas como de “responsabilidade social corporativa”, onde busca se apresentar como atores que contribuem de forma positiva à sociedade. A regulamentação deste número incontável de artifícios de marketing da indústria é uma estratégia central para o controle do tabagismo. Essencialmente, sempre que a indústria do tabaco tentar modificar a sua mensagem, distanciando seus produtos das mortes e das doenças que causam, o controle do tabagismo busca firmemente trazer a mensagem de volta para os fatos essenciais do uso do tabaco: doença e morte.

As empresas de tabaco geralmente respondem às restrições de marketing realocando recursos para canais que permaneçam abertos. Por exemplo, quando o governo proíbe a publicidade em revistas e outdoors, a indústria simplesmente muda para outras estratégias, como mala direta, internet, ponto de venda, imagem corporativa e descontos. Quando a regulamentação conseguir eliminar todos os canais de marketing, o mercado dos produtos tabaco congelará e, ao longo do tempo, diminuirá. No entanto, sabemos que, até que todos os canais de marketing sejam bloqueados, as fabricantes de produtos do tabaco tentarão encontrar um espaço pois têm muito a ganhar financeiramente com a manutenção do marketing. Dessa forma, o controle do tabagismo deve trabalhar incansavelmente para bloquear todas as vias disponíveis para as empresas de tabaco promoverem seus produtos nocivos. Esforços inovadores contra o marketing incluem exigir embalagens padronizadas para seus produtos e, finalmente, que os próprios produtos sejam padronizados e simplificados.


Prática Ruim

Permitir propaganda de cigarros eletrônicos que promovem sorrateiramente o tabagismo em canais que estão fechados para os produtos de tabaco. A Philip Morris fabrica cigarros eletrônicos da marca MarkTen, que são quase idênticos aos cigarros convencionais, porque sai “fumaça” da sua ponta. As companhias podem alegar que só estão fazendo propaganda de cigarros eletrônicos em meios nos quais a propaganda de cigarros convencionais são proibídas, mesmo que os produtos sejam indistinguíveis para o consumidor.

Fontes

Photo Credit: MarkTen E-cigarette Ad From the collection of Stanford Research Into the Impact of Tobacco Advertising (tobacco.stanford.edu).

Stanford University Research Into Tobacco Advertising, 2014.

Prática Boa

Esta modelo de proibição bilíngue de anúncios em pontos de venda demonstra exemplifica como seria se essa política fosse adotada em Hong Kong. Em 2016, 15% da população mundial, que vive em 37 países, estava coberta por políticas recomendadas pela CQCT da OMS que proíbem o anúncio, propaganda, promoção e patrocínio de tabaco. Do total da população mundial, 47% (em 78 países) estava coberta por advertência de saúde que atendiam às práticas recomendadas como melhores.

Fontes

Photo Credit: Marketing Ban at Point of Sale courtesy of the Hong Kong Council on Smoking and Health.

GTCR 2017 and BBC News

Práticas de Ponta

Quando as companhias de tabaco responderam à legislação de embalagem padronizada da Austrália com o acréscimo de marcas distintas nos cigarros, elas foram repreendidas por “não estarem rigorosamente em conformidade” com a legislação. Na forma de um aprimoramento importante da legislação de embalagem padronizada, o Canadá considerou patronizar todo o cigarro, passando para um produto mais simples e exigindo que o invólucro do cigarro fosse feito com uma cor de papel pouco atraente.

Fontes

Photo Credit: Plain, Standardized Packaging the goatman / shutterstock.com. Image used with modification under license from Shutterstock.com.

ABC News, 2012

Proibição de propaganda

Número total de proibições de publicidade direta e indireta ao tabaco, 2018

Referências

Sales push follows cigarette display ban. BBC News [Internet]. 2017 Aug 1 [cited 2017 Nov 2]; Available from: http://www.bbc.com/news/uk-scotland-40781163

Bourke L. Tobacco firm reprimanded for plain packaging breach [Internet]. ABC News. 2012 [cited 2017 Aug 9]. Available from: http://www.abc.net.au/news/2012-11-29/tobacco-producer-reprimanded-for-plain-packaging-breach/4397694

Canada H, Canada H. Consultation summary: “Plain and standardized packaging” for tobacco products [Internet]. aem. 2017 [cited 2017 Aug 9]. Available from: https://www.canada.ca/en/health-canada/services/publications/healthy-living/plain-standardized-packaging-tobacco-products-consultation-summary.html#a4

Landman A, Ling PM, Glantz SA. Tobacco industry youth smoking prevention programs: protecting the industry and hurting tobacco control. Am J Public Health. 2002 Jun;92(6):917–30.

Philip Morris USA. Could Your Kid Be Smoking? [Internet]. Elmira City Schools. 2005. Available from: https://web.archive.org/web/20101214014446/http://www.elmiracityschools.com/uploadeddocs/BMScouldyourkidbesmoking.pdf