issue

Danos sociais

O custo econômico global do tabagismo chega a quase 2 trilhões de dólares (em PPC de 2016) anualmente, quase 2% do PIB mundial. Isto representa uma oportunidade perdida de em vez disso investir no capital humano por meio da saúde e educação.

Os danos causados pelo tabaco vão muito além da morte e da doença causada pelo consumo de tabaco. Em outras palavras, o tabaco prejudica o desenvolvimento sustentável do mundo. O custo econômico de fumar equivale globalmente a quase 2 trilhões de dólares (Paridade do Poder de Compra – PPC em 2016) por ano, o equivalente a quase 2% do total da produção econômica mundial. A maior parte do custo econômico total do tabagismo é a perda de produtividade daqueles que estão doentes ou morrem pelo tabagismo. Outros 30% desses custos são despesas relacionadas com à assistência médica para o tratamento de doenças atribuídas ao tabagismo. Notavelmente, este preço não inclui outros custos substanciais, tais como os custos causados pelo fumo passivo, os produtos de tabaco não combustíveis, os danos ambientais e de saúde causados pelo cultivo de tabaco, os riscos de incêndio relacionados ao tabagismo, a sujeira resultante das pontas de cigarro e, principalmente, a dor e sofrimento imensurável das vítimas do tabagismo e suas famílias.

O custo do consumo de tabaco está aumentando rapidamente, seguindo o aumento do número de usuários de tabaco em países com IDH baixo, médio e alto [ver inserção 1]. Considerando os recursos limitados na maioria dos países, esses custos representam uma oportunidade perdida de em vez gastar esses recursos para promover a economia por maio da educação, saúde, tecnologia e produção. Como a maioria dos efeitos do tabagismo se atribui à saúde com um atraso de mais de uma década, o prejuízo social do tabagismo ainda aumentará inevitavelmente nos países onde o consumo de tabaco aumentou, e inclusive nos que recentemente começou a diminui.

A maioria dos usuários de tabaco se vicia quando são jovens sem conhecer as consequências para a saúde que o tabagismo eventualmente terá no futuro, causando um nível de dificuldades econômicas que certamente não escolheriam para suas famílias ou para si próprios. Independentemente do estágio do desenvolvimento econômico de um país, o peso do tabagismo recai desproporcionalmente sobre os pobres e é fonte de desigualdades econômicas e de saúde [ver inserção 3]. Os pobres gastam uma parcela maior de seus rendimentos em produtos de tabaco, diminuindo seu poder de compra para gastos com necessidades, tais como alimentos, educação, saúde e habitação. Além disso, as doenças relacionadas ao tabagismo contribuem para despesas catastróficas de saúde que competem com as necessidades básicas das famílias pobres. Quando o provedor da família fica doente ou morre prematuramente devido ao tabagismo, toda a família é devastada e empobrecida. Este ciclo de tabagismo e pobreza é vicioso [ver inserção 4] e irá se perpetuar por gerações se os esforços de controle do tabaco não se intensificarem. Dessa forma, há uma necessidade particular de esforços direcionados aos pobres.

Os capítulos seguintes do Atlas se concentrarão em estratégias comprovadas de controle do tabaco. O desenvolvimento e implementação dessas estratégias são investimentos fundamentais em capital humano que promovem o desenvolvimento humano.


Custo Econômico das Doenças Atribuíveis ao Tabagismo

Países com custo mais alto de 10 mil $PPC milhões (ou 10 $PPC bilhões)

Disparities in Smoking Prevalence

Tanto em homens como em mulheres, diferenças na prevalência de tabagismo podem contribuir para disparidades econômicas e saúde em geral

Referências

Goodchild M, Nargis N, Tursan d’Espaignet E. Global Economic Cost of Smoking-Attributable Diseases. Tobacco Control. Published Online First: January 4, 2017. doi:10.1136/tobaccocontrol-2016-053305.

Sreeramareddy CT, Harper S, Ernstsen L. Educational and wealth inequalities in tobacco use among men and women in 54 low-income and middle-income countries. Tobacco Control. Published Online First: 24 November, 2016. doi:10.1136/tobaccocontrol-2016-053266.

Thun M, Peto R, Boreham J, Lopez AD. Stages of the cigarette epidemic on entering its second century. Tobacco control. 2012;21(2):96-101.

U.S. National Cancer Institute and World Health Organization. The Economics of Tobacco and Tobacco Control. National Cancer Institute Tobacco Control Monograph 21. NIH Publication No. 16-CA-8029A. Bethesda, MD: U.S. Department of Health and Human Services, National Institutes of Health, National Cancer Institute; and Geneva, CH: World Health Organization; 2016.